sábado, 3 de junho de 2017

TDAH em adultos - 5 ritalina por dia

Um amigo quer ajudar o rapaz. Difícil de dar certo, pois o jovem não se percebe como tendo um comportamento alterado! Como passar valores de uma vida simples, menos calcada na competitividade, em um mundo enlouquecido por "número 1"?

 O que é ser campeão? ser o "vencedor" para os outros? ou enfrentar, conviver e vencer seus próprios medos?
Nenhum problema em ter ou ser um campeão. Há que analisar o preço que cada um irá pagar por isto!
Realizar a SUA própria vida, sem comparativos com outros modelos, este é o desafio!
Aceitar-se é a base!
Amar-se é o tronco!
As folhas e os frutos? Sentimentos verdadeiros, contatos de essência, fazer o seu possível e viver o melhor possível com a realidade! Mudar quando possível e necessário e não se exigir além das forças!


Por Marise Jalowitzki
03.junho.2017
http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2017/06/tdah-em-adultos-5-ritalina-por-dia.html


Um amigo escreveu:
Bom Dia! Gostaria de sua ajuda!
Adquirir o seu livro há alguns dias e vi o perigo do uso indevido do Ritalina.
Pois tenho um colega na faculdade que está vendo coisas,os colegas de trabalho achando que ele está maluco e ele achando que ele está bem,mas está falando coisa com coisa.
Gostaria de orientação como posso ajudar ele,caso ele queira.
Ele disse que toma 5 compridos de ritalina ao dia.

O que respondi:
Caro amigo!
Louvo tua iniciativa em querer auxiliar teu amigo. Entretanto, é bem como dizes: caso ele queira. O problema de quem ingere estes psicotrópicos, onde, sim, um dos efeitos adversos são as alucinações, o criar um mundo a parte, é de que estes adultos estão tão convictos destas suas verdades que ele - teu amigo - é que pode chamar-te 'louco'! Tenta, se ele te ouvir, é uma vida salva! Também faço o mesmo por aqui, embora, por vezes, os xingamentos arrefecem a vontade.

As alucinações, a paranóia, entre outros, consta da própria bula. Quem entra nessa, quando adulto, ou é porque já tomou quando pequeno - e aí só se sente autoconfiante quando toma o "comprimidinho mágico", pois "mamãe já sabia disso" - ou, se começou a ingerir quando adulto, é por uma autoestima tão lá embaixo, por conta das desqualificações (explícitas ou veladas) que recebeu durante toda a infância e adolescência.

Os acenos que podes dar a ele, podem ser:
1- Procurar um terapeuta holístico, que vai tratá-lo de forma integral (medicação homeopática, Reiki, meditação, etc.) - Sabes que há bastante preconceito quanto a isso. E mais: os "comprimidinhos mágicos" fazem com que a pessoa se sinta "A" pessoa, tipo os efeitos da cocaína, em que o cara se sente o maioral, o fod..., o que 'manja' as coisas de um jeito que os outros sequer sacam. A ritalina, como sabes, está na mesma classificação que a cocaína. Tenta!

2- Procurar um psicólogo, para tentar tratar aquelas coisas lá detrás, que nunca foram resolvidas, e que são o cerne de toda esta insegurança, fantasiada de superpoderes. Sabes que há um tremendo preconceito com relação à terapia psicológica, infelizmente, e as pessoas se defendem com um "não-tô-loco" e "eles não sabem de nada". Particularmente, creio que é o que mais o ajudaria, pois iria mexer na base emocional que deve estar bastante mal estruturada. Como ele já está neste bombardeio de drogas, vai precisar de medicação, sim, e ir efetuando um desmame gradativo, caso ele entenda, de verdade, que iniciou um processo sério de autodestruição e que, pode levar anos, mas ele não vai ficar em pé. 

Conheço vários casos onde amigos dão oportunidades de trabalho, a pessoa comparece, faz o que julga a sua parte, sé despedido, não entende porque, se queixa, fica ainda mais insegura, ingere ainda mais comprimidos (desta mesma e de outras drogaspsicotrópicas, compradas sem problema pela web, sem receita, sem nada!); tenta outra ocupação e assim vai rolando... Tenta!

3- Procurar um homeopata, ou neuro homeopata, um terapeuta da medicina antroposófica, ou da fitoterapia. Um terapeuta floral. Há vários medicamentos não invasivos que podem ser tomados juntamente aos psicotrópicos, para ir ajudando na diminuição das doses destes e proporcionar a limpeza física. Por isso, por efetuar a limpeza 'apenas' física (e isto já é um tremenda vitória, difícil de ser conseguida!), é que a terapia, um tratamento de reparação energética (como o Reiki, por exemplo, EFT, PNL, etc.) devem ser feitos conjuntamente. Sabes que há um verdadeiro bombardeio da "classe opositora" (leia-se: indústria farmacêutica + medicina alopática = lucros) contra a homeopatia, uma campanha sistemática contrária a quaisquer outros tipos de medicamentos substitutivos ou mesmo adjuvantes! Tenta!

Enfim, no Livro há várias dicas, inclusive uma parte para adultos (de como relacionar-se sendo ou convivendo). Mas tudo vai depender de como teu amigo reaje. Um dos que conheço é de dar dó. Um rapaz sensível, querido, sente-se o quanto ele sofre, mas, na hora de conversar sobre - e o debate era sobre crianças -, mesmo ele já tendo in off comentado várias coisas tristes comigo, no público ele declara, possuído de um poder que não é o seu: "Eu cheguei a tomar 10 ritalina por dia e não deu nada, tô aqui!"... só ele não vê que seus olhos estão como vidro, que tem atitudes intrigantes, que as pessoas mais chegadas toleram (por saber de seu histórico) e as que não o conhecem simplesmente o enxergam como um...drogado!

Tua iniciativa é bastante válida e eu, em teu lugar, também interfiriria. Só não abraça o mundo, amigo, pois o máximo que podes fazer são 50%! O restante é com ele!

Enviando excelentes vibrações de Paz e Harmonia!
Contata sempre que quiser!
Marise



Sobre a autora
 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Especialista em Desenvolvimento Humano. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Póa-graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 
blogs:
www.marisejalowitzki.blogspot.com.br

LIVRO TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM

Informações, esclarecimentos, denúncias, relatos e dicas práticas de como lidar 
Déficit de Atenção e Hiperatividade



Nenhum comentário:

Postar um comentário